quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Por que a nossa fé não se baseia unicamente na bíblia??

Em debates nas redes sociais ou em discussões de grupo é muito comum ouvir dos irmãos protestantes a retórica pergunta: porque certos dogmas católicos não encontram respaldo bíblico? ou ainda, não encontro nada na bíblia que faça referência ao dogma da Imaculada Conceição de Maria ou sua Assunção aos céus, Purgatório, Santa Missa e assim vai... Muitas vezes até mesmo pela falta de formação, alguns católicos acabam ficando sem reação diante destas e outras especulações, mas apesar da resposta parecer difícil e complexa é muito mais fácil do que se imagina. Para tal indagação basta dizer o seguinte: nossa fé não se apoia somente na bíblia mas numa união tríplice e bem fundamentada, baseada na Sagrada Tradição (oral e transmitida pelos apóstolos), Sagrada escritura (Bíblia) e no Sagrado Magistério (ensinamentos dados à Igreja através dos Bispos e do Papa).
Sagrada Escritura e Sagrada Tradição, apesar de parecerem diferentes, estão particularmente unidas e concorrem para um mesmo fim: a evangelização e a coordenação das ações dos fiéis enquanto participantes do corpo de Cristo aqui na terra. A Sagrada Escritura é a palavra de Deus escrita por homens devidamente inspirados e iluminados pelo Espírito Santo (II Timóteo 3,16-17); já a Sagrada Tradição é a transmissão oral da palavra de Deus e repassada integralmente aos sucessores dos apóstolos, esta por sua vez, é aceita e confirmada pela primeira (II Ts 2,15). Isso não quer dizer que os fundamentos da fé católica não encontram respaldo bíblico, o que ocorre na verdade é o seguinte: muitos dos dogmas proclamados pela Igreja apesar de não aparecerem de maneira explícita estão intrinsecamente descritos na Sagrada Escritura, todavia, para que tais fundamentos possam ser conhecidos de fato, se faz necessário o exame das escrituras à luz dos ensinamentos do Sagrado Magistério (este sim infalível) e não simplesmente através da interpretação pessoal e autônoma como fazem os protestantes.
Vamos utilizar um exemplo bem prático para ilustrar a questão. O Purgatório é uma das doutrinas da Igreja mais rebatidas pelos nosso irmãos protestantes, e portanto, é muito conveniente da parte de quem está acostumado a ter somente a Sagrada Escritura como regra de fé levantar a seguinte indagação: aonde está escrito na bíblia que depois da morte a pessoa (em alguns casos que não serão especificados aqui) poderá passar pelo Purgatório? Deve-se ressaltar antes de tudo que a palavra Purgatório não consta na bíblia, mas isso não quer dizer que o mesmo não exista, na verdade, através de algumas citações bíblicas e do Magistério da Igreja é possível encontrar várias referências a este dogma, senão vejamos:
a) Em Mateus 12,32; Jesus diz claramente que quem cometer o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoado nem neste século nem no século vindouro. Ou seja, para este pecado não haverá perdão nem neste mundo nem no mundo que há de vir. Assim Jesus demonstra que existem pecados que podem ser perdoados até mesmo após a morte.
b)Na passagem de 1 Coríntios 3,15 São Paulo afirma que nossas obras serão provadas através do fogo de modo que se a obra resistir seu construtor receberá uma recompensa mas se a mesma não resistir, seu autor poderá ser salvo mesmo assim, mas como alguém que escapa de um incêndio. A exemplo destas, muitas outras citações são consideradas para fundamentar a doutrina do Purgatório (Lc 12,45-48; Lc 12,58-59), inclusive no Segundo livro dos Macabeus (12,39-46) que foi eliminado da bíblia protestante. Fica claro que apesar da palavra Purgatório não constar na bíblia, o mesmo não deixa de ter respaldo.
Para finalizar este artigo, utilizamos um exemplo bem mais contemporâneo. Sabemos muito bem que a ideologia Socialista, apesar de ter boa adesão principalmente entre os cristãos (Teologia da Libertação) foi duramente condenada pela Igreja. Devemos lembrar também que a palavra Socialismo não consta na bíblia, nesse caso, se tivéssemos unicamente a Sagrada Escritura como regra de fé não teríamos porque lutar contra a proliferação desta ideologia em nosso meio uma vez que a mesma não se encontra na bíblia, então porque com combatê-la??? Porque excomungar Padres que exaltam tal ideologia dentro de nossas Igrejas e sacristias?? Combatemos porque o Sagrado Magistério da Igreja sempre foi unânime em reprovar este tipo de ideologia e ainda que tal termo não se encontre literalmente descrito na bíblia não significa que os fiéis tenham que aceitá-lo ou aderir esta ideologia no meio da Igreja, muito pelo contrário, os ideais que compõem o Socialismo contradizem totalmente os valores deixados por Cristo e portanto não existe possibilidade de junção entre os dois.
Portanto, desde a sua fundação até os dias atuais a Igreja conduz seus filhos através de uma tríade abençoada formada pela Sagrada Tradição, Sagrada Escritura e o Sagrado Magistério que juntos complementam-se e fortalecem o fundamentos de nossa fé independente da época ou situação em que nos encontremos.

2 comentários:

  1. Nao sabia que o magisterio da igreja ensinava condenava o socialismo ainda que estivesse clarissima que esse esta contra TODOS os ensinamentos de Jesus. Muito bom o seu artigo e me ajudou bastante! Agora quero comprar o catecismo da IC e me aprofundar nos ensinamentos dela. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia irmã. A Paz de Jesus.
    Sim, a Igreja condena o socialismo, inclusive o Papa Leão XIII na encíclica Quod Apostolici Muneris, deixou isso bem claro. O Catecismo é um instrumento de suma importância para nós Católicos mas infelizmente tem sido abandonado inclusive pelos catequistas.
    Abraço Fraterno

    ResponderExcluir